Mãe com crianças em idade escolar

" Zombies à mesa do pequeno-almoço – em bicos dos pés na corda bamba

Ex.mas Senhoras, Ex.mos Senhores,

A terceira semana de escola, e para mim a quarta semana de trabalho, acabou. A minha família, os zombies à mesa do pequeno-almoço, cedo de manhã, antes das 6:00 da manhã, transforma-se em vampiros sem sangue, com ainda mais sombras ao redor dos olhos. Nós estávamos todos verdadeiramente relaxados e energéticos após as férias de verão. Cheios de motivação, ideias e energia positiva. Infelizmente, um espectáculo de curta duração. Várias semanas de privação do sono, devido ao regulamento do horário de verão, ainda em vigor, deixam as suas marcas, cada vez mais, cada dia que passa. Um dos meus filhos já ficou pelo caminho. Gripe sazonal. A privação crónica do sono enfraqueceu o seu sistema imunitário. Se ele adormecer às 20h30, ele mesmo assim só recebe 9 horas de sono, o que ele depois tenta compensar cada fim de semana com 12 horas de sono. Agora que está escuro pela manhã, já com frio e nevoeiro, as 9 horas nunca são suficientes para uma criança. Mas conseguir que uma criança de 11 anos adormeça antes das 20 horas dificilmente é possível, a menos que esteja doente, como agora.

 

E, para piorar a situação, o regulamento do horário de verão foi também estendido. Em vez de reporem os relógios como em 1996, no final de Setembro, quando os dias e as noites têm durações semelhantes, precisamos que aguentar a privação do sono em Outubro. Outubro, o 7º mês do regulamento do horário de verão, apenas degenera em tortura. A exaustão é levada ao limite.

 

Além disso, o limite de tolerância caiu em toda a família. Há mais ralhetes, discussões e aborrecimentos entre nós, tal como foi em Abril, quando a mudança de hora tinha acabado de ocorrer. Lentamente, mas com toda a certeza, todas as pessoas estão a entrar em parafuso. O meu chefe (eu pertenço ao grupo de mães que trabalham meio tempo) também está cada vez mais (claramente, ele também sofre do mesmo problema de privação de sono). Sinto-me a dançar, em bicos de pés, na corda bamba, sensível, de pele fina e como que qualquer movimento errado me possa atirar para fora do meu eixo.

 

E porquê?

Porque estamos extremamente cansados novamente e, graças ao regulamento do horário de verão, precisamos de acordar às 5h30 da manhã, em vez das 6h30. Antes, quando fazia trabalho por turnos  que começavam às 6 horas, eu tinha que acordar às 5 horas, o que corresponde às 4:00 CET durante o regulamento do horário de verão - uma loucura! Eu não aguentava mais, e tiro o chapéu a todos os que tem de continuar a suportar essa loucura.

Os fins de semana estão lá principalmente para interceptar a privação do sono. Mas funciona pior semana após semana.

Na primeira semana após as férias de verão, eu ainda tinha energia suficiente para compensar.

Na segunda semana, eu já estava de rastos na quinta-feira.

Na terceira semana na quarta-feira e na quarta semana na segunda-feira.

A quinta semana está a decorrer e eu nunca estive mais assustada. Eu tenho de dormir o máximo que cada dia me permite. Isso é possível aos fins de semana, mas praticamente impossível durante a semana.

 

Eu não sei como é pra os outros, mas para nós cada minuto conta de manhã. Se a manhã começa mal por causa do cansaço, o resto do dia continua mal. Não posso usar a chamada "hora ganha" à noite, porque já estou exausta demais.

Entretanto, apago minha luz antes das 21h, ontem às 20h30, e durmo exausta com as crianças. Então, é claro, vem a coisa com distúrbios do sono e acordo entre 0:30 e 3:30, porque eu fui dormir muito antes da minha hora de dormir normal, normal para o meu biorritmo. E tudo isto por cima dos problemas de relacionamento amoroso, porque ambos os parceiros estão cansado e não têm qualquer vontade (e digo nos dois sentidos).

 

26 de Outubro, o dia em que o tempo finalmente é restaurado para o tempo normal, parece um oásis no deserto, almejado. Mas, muitas vezes, ocorre simultaneamente (se não antes em Outubro) o colapso, a conta após 7 meses de vida contra o biorritmo. E as pessoas culpam erroneamente a estação escura, o inverno, e ninguém pensa nos 7 meses de exploração excessiva de nossos corpos. Quando exactamente o corpo deve se recuperar?

 

Qualquer pessoa que queira acordar muito cedo pela manhã deve poder fazê-lo e com prazer, mas isso não significa que toda a população precisa de ser devastada e forçada a fazê-lo.

 

As constipações e depressão estão a aumentar, não apenas com o meu filho ou na minha família, porque as defesas imunitárias estão enfraquecidas e o sistema nervoso está desgastado.

 

Sim, e perder peso, queridas mulheres, não funciona, porque com a cortisona que libertamos, devido ao stress causado pela falta de sono contínuo, a perda de gordura é bloqueada logo à partida. Isso também me deixa louca e cansada.

 

Bem, os consultórios médicas estão em alta, alta temporada. Mas é esse o objectivo para o povo Alemão: uma sociedade cronicamente cansada em bicos de pés na corda bamba?!

 

E a solução é tão simples:

Atrasem os relógios, acertem-nos pela hora normal, durmam naturalmente, e o mundo parecerá muito melhor novamente (tal como a avó sempre nos tinha dito)! Depois disso, nós teremos a força e atenção necessárias para cuidar das tarefas que a vida nos dará: de forma pacífica, cuidadosa e calma. Descansados ​​e menos apressados, os nossos políticos certamente conseguiriam pensar com mais clareza, e tomar melhores decisões em benefício do povo.

 

Na Idade Média, a peste negra foi chamada de flagelo de Deus contra o qual as pessoas eram impotentes. A regulamento do horário de verão, por outro lado, é apenas um flagelo feito pelos homens. Isso pode ser revogado a qualquer momento.

 

Atenciosamente

XX, mãe da Baviera, Alemanha "

  • facebook logo_pt

© 2020 por BetterTimes.