• Dr. João Lipinsky Nunes

Horário De Verão Permanente Rejeitado Em Alberta Por Margem Mínima

Os cidadãos da província canadiana de Alberta foram às urnas a 18 de Outubro de 2021 participar no referendo para decidir (também) a adopção do horário de Verão permanente. A medida foi rejeitada com 50,24% dos votos contra.

 

A 18 de Outubro de 2021, um referendo foi realizado na província de Alberta, Canadá , sobre duas questões, sendo uma delas se a província deveria observar o horário de verão durante todo o ano. Tal veio na sequência de um inquérito online em 2019, promovido pelo primeiro-ministro de Alberta Jason Kenney e o Ministro dos Serviços Nate Glubish (ambos do "United Conservative Party"), perguntando aos cidadãos se preferiam ter a mudança bianual do relógio ou o horário de Verão permanente. O inquérito teve cerca de 141.000 respostas (cerca de 3% da população de Alberta). A grande maioria dos respondentes (91%) optou pelo horário de Verão permanente.


No entanto, o inquérito deixou de fora a opção da adopção permanente do horário padrão (também conhecido em Portugal como o horário de Inverno), dificultando distinguir se os respondentes votaram em rejeição à mudança de hora ou a favor especificamente da adopção do horário de Verão. O Ministro dos Serviços Nate Glubish, em resposta à organização Norte Americana "Save Standard Time", justificou a omissão do horário padrão com o facto de haver outros estados, no Canadá e nos EUA, com legislação para a implementação do horário de Verão permanente, e preocupações económicas relacionadas com a não sincronização dos fusos horários. A declaração do ministro foi recebida com surpresa dado haver igualmente estados norte americanos com legislação para a implementação do horário padrão permanente, para além de o horário de Verão permanente ser federalmente proibido nos EUA pelo "Uniform Time Act", o que comprometeria a tentativa de sincronização. Mais, os dados econométricos presentes demonstram que a sincronização de fusos horários tem um efeito negligenciável no comércio de bens e serviços, enquanto que o horário de Verão tem fortes efeitos adversos na economia.


A votação no referendo envolveu 1.092.960 de votantes, cerca de 39% de todos os eleitores registados, resultando na rejeição do horário de Verão permanente por uma margem mínima: 50,24% contra e 49,76%.

Os resultados foram recebidos por especialistas em medicina do sono e ritmo circadiano com alívio. Entre eles, o Dr. Michael Antle, professor do Departamento de Psicologia da Universidade de Calgary, que esteve amplamente envolvido na divulgação dos perigos e desmistificação dos benefícios do horário de Verão permanente, reiterou a necessidade para Alberta adoptar o seu horário padrão permanente "Mountain Standard Time", ou MST (UTC-07:00).