• Dr. João Lipinsky Nunes

Samoa Rejeita Horário De Verão, Adopta Horário De Inverno Permanente

O novo governo do Estado Independente de Samoa adoptou a 15 de Setembro de 2021 o horário de inverno permanente, ao rejeitar a transição para o horário de Verão, pondo fim a 11 anos problemáticos de mudança da hora.

 
Torre do Relógio, Apia, Samoa
Torre do Relógio em Apia, Samoa (fotografia por Stephen Glauser)

A 15 de Setembro de 2021, o novo governo da Samoa, liderado pela Primeiro Ministro Fiamē Naomi Mataʻafa, eliminou por completo a observação do horário de Verão e adoptou o seu horário padrão (também conhecido em Portugal como horário de Inverno) permanentemente.


O Horário de Verão foi implementado pelo governo anterior há 11 anos atrás, obrigando os Samoanos a adiantar o relógio uma hora. O horário de Verão foi implementado sob o pretexto de dinamizar a economia, poupar energia, e melhorar a saúde pública. No entanto, nenhuma destas melhorias foi efectivamente confirmada. Mais, especialistas em Sono e Ritmo Circadiano, assim como especialista em Economia e Energia, concordam hoje que, com o horário de Verão, quer permanente ou em regime sazonal, há um forte decréscimo no desempenho económico [1,2,3], um aumento no consumo de energia [4,5], e um declínio da saúde física [6,7] e mental [8,9].


O Ministro do Comércio, Industria e Trabalho Afualo Wood Salele interpretou que o horário de Verão incrementou as horas de lazer e tal afectou a produtividade adversamente. À luz dos estudos presentes, as observações quanto à perda de produtividade seriam melhor explicadas pelo encurtamento do sono e aumento do cansaço [1], aumento dos dias de baixa por doença [2,3] ou acidentes [10,11], e maior propensão a distrações e erros no trabalho [12,13].


Permalink: https://pt.gobettertimes.org/post/samoa-rejeita-horario-de-verao-adopta-horario-de-inverno-permanente

 

Referencias

[1] Giuntella O & Mazzonna F (2019) Sunset time and the economic effects of social jetlag: evidence from US time zone borders. Journal of Health Economics 65: 210–226. Link

[2] Gibson M & Shrader J (2018) Time Use and Labor Productivity: The Returns to Sleep. The Review of Economics and Statistics 100: 783–798. Link

[3] L. Jin and N. R. Ziebarth, “Sleep, health, and human capital: Evidence from daylight saving time,” Journal of Economic Behavior & Organization 170, 174–192 (2020) Link

[4] Havránek, Tomáš ; Herman, Dominik ; Iršová, Zuzana: Does Daylight Saving Save Electricity? A Meta-Analysis, The Energy Journal (2018). Link

[5] Hecq, Walter; Borisov, Youri; Totte, Marc; Daylight saving time effect on fuel consumption and atmospheric pollution. Science of The Total Environment 133 (1993), 3, S. 249–274. Link

[6] M. F. Borisenkov, “Latitude of Residence and Position in Time Zone are Predictors of Cancer Incidence, Cancer Mortality, and Life Expectancy at Birth,” 2, Chronobiology International 28(2), 155–162, Taylor & Francis (2011). Link

[7] G. D. M. Potter et al., “Circadian Rhythm and Sleep Disruption: Causes, Metabolic Consequences, and Countermeasures,” 6, Endocrine Reviews 37(6), 584–608 (2016). Link

[8] M. F. Borisenkov et al., “Sleep characteristics, chronotype and winter depression in 10-20-year-olds in northern European Russia,” J Sleep Res 24(3), 288–295 (2015) . Link

[9] R. G. Foster et al., “Sleep and Circadian Rhythm Disruption in Social Jetlag and Mental Illness,” in Progress in Molecular Biology and Translational Science 119, 325–346 (2013). Link

[10] C. M. Barnes and D. T. Wagner, “Changing to daylight saving time cuts into sleep and increases workplace injuries.,” Journal of Applied Psychology 94(5), 1305–1317 (2009). Link

[11] J. Fritz et al., “A Chronobiological Evaluation of the Acute Effects of Daylight Saving Time on Traffic Accident Risk,” Current Biology 30(4), 729-735.e2 (2020). Link

[12] B. P. Kolla et al., “Increased Patient Safety-Related Incidents Following the Transition into Daylight Savings Time,” J GEN INTERN MED (2020). Link

[13] D. T. Wagner et al., “Lost sleep and cyberloafing: Evidence from the laboratory and a daylight saving time quasi-experiment.,” Journal of Applied Psychology 97(5), 1068–1076 (2012). Link